Falar sobre Transtono Bipolar é preciso.

( Escrito pela Psicóloga Especialista Samira Falcão)

O transtorno de humor bipolar (THB) é um problema de saúde pública com uma prevalência em torno de 1,5%, estando associado a elevado risco de mortalidade; aproximadamente 25% dos pacientes tentam suicídio em alguma etapa de suas vidas e, destes, cerca de 11% completam este intento (Hilty et al., 1999).

O Transtorno bipolar (TB) possui forte componente biológico e sua principal forma de tratamento é com medicamentos estabilizadores do humor. Entretanto, o papel da psicoterapia para o seu tratamento é enorme e com potencial ainda muito estudo. Estamos falando de uma doença crônica que necessita de cuidado e acompanhamento para vida toda.

A síndrome causa na pessoa estresses, prejuízos psicossociais e diminuição na qualidade de vida.

As pessoas que sofrem desse transtorno experimentam momentos de depressão, e também de euforia intensa, conhecida como mania. Existe a característica de velocidade de pensamento, a pessoa fica mais excitada, contado piadas, agindo de modo inconveniente, com libido aumentada, com menor necessidade de sono, sensação de bem-estar e energia.

Características para serem observadas:

  1. Gasto de dinheiro excessivo.
  2. Diminuição da necessidade de sono;
  3. Diminuição acentuada da ansiedade;
  4. Níveis elevados de otimismo, com pouco planejamento;
  5. Grande vontade de se relacionar com pessoas, mas com pouca capacidade de ouvir;
  6. Concentração diminuída;

 

Recomendamos esse site http://www.abtb.org.br/transtorno.php , quanto mais informação sobre o transtorno melhor para a convivência.

Procure um Psicólogo e um bom Psiquiatra para um diagnóstico especifico.

Psicóloga responde- Depressão.

(Por Psicóloga Especialista Samira Falcão)

flor

  • A depressão é considerada uma doença?

Segundo o DSM-IV, Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, sim. Os sintomas da depressão interferem drasticamente com a qualidade de vida, gerando problema socais de alto custo como, perda de dias no trabalho, atendimento médico, medicamentos e suicídio. A maior prevalência são de 20 a 40 anos de idade.

  • A depressão tem uma predisposição genética? Se alguém da família sofre ou sofreu da doença outros membros devem procurar um tratamento preventivo? Existe a possibilidade de prevenir antes de ter a doença?

A depressão é uma doença que não existe exame no laboratório especifico, o diagnóstico é feito por uma avaliação de psiquiatra e psicólogo. Existe fatores de risco como predisposição biológica, se alguém na família já sofreu de depressão, transtorno do humor ou suicídio. Estressores psicológico, sociais, abusos e negligencias são causas e fatores de riscos que podem também levar a uma possível depressão ou quadro depressivo. Muitos casos podem estar ligados a condições médicas como câncer, dores crônicas, doença coronariana, diabetes, epilepsia, infecção pelo HIV, doença de Parkinson, derrame cerebral, doenças da tireoide e outras.

  • Você tem dados sobre o panorama no brasil e no mundo da doença?

Existe alguns estudos que mostram que 10% a 25% das pessoas que procuram os clínicos gerais apresentam sintomas que são característicos da depressão. Essas porcentagens são semelhantes ao número de casos de hipertensão e infecções respiratórias que os clínicos atendem em seus serviços. No Brasil 33% da população (ECA) sofrem de depressão, que resultaram baixa produtividade, acidente de trabalho e outras doenças que geral aposentadoria precoce.

  • Quais os sintomas mais comuns? Eles podem ser diferentes em homens e mulheres, crianças ou idosos?

Os sintomas variam, mas uma pessoa depressiva apresenta humor irritável, oscila de um dia para o outro, perde interesse nas coisas que antes eram reforçadoras (que gostava de fazer), cansaço, desanimo, sentimento de angustia, insegurança, auto estima baixa, baixa autoconfiança. Também sintomas físicos como insônia – hiperosmia, aumento ou diminuição do apetite e diminuição da vontade de fazer sexo (libido), entre outros sintomas que são avaliados por psiquiatra e psicólogos.

Casos entre mulheres é o dobro dos homens. Não se sabe se a diferença é devida a pressões sociais, diferenças psicológicas ou ambas. A vulnerabilidade feminina é maior no período pós-parto: cerca de 15% das mulheres relatam sintomas de depressão nos seis meses que se seguem ao nascimento de um filho.

  • A depressão pode gerar outros problemas de saúde?

Pode sim, como dor nas costas, coluna, no estômago, cefaleia, dor no peito e nos membros, falta de memória. Muitas vezes buscamos causas físicas para justificar uma dor, mas ela pode ser um sinal que os aspectos psíquicos precisam de atenção e cuidado.

  • Quais os melhores tratamentos para depressão: alopáticos, homeopáticos, terapias, exercícios físicos?

A terapia mais indicada é a comportamental ou a cognitiva comportamental, pois elas vão tratar diretamente os comportamentos e os pensamentos disfuncionais.

  • Existe cura ou um paciente que teve depressão terá que se tratar (fazer acompanhamento terapêutico ou tomar remédios) a vida toda?

Cada caso é um caso, mas o paciente vai precisar fazer acompanhamento psicológico e psiquiátrico para aprender a ter uma vida com qualidade. Costumo dizer que a vida toda é muito tempo e não conseguimos prever, mas vai precisar de uma atenção maior, para evitar remissão de sintomas. A doença é recorrente. Os que já tiveram um episódio de depressão no passado correm 50% de risco de repeti-lo.

 

Mande sua pergunta para estarmos respondendo. Muitas duvidas são sua e de outras pessoas. A depressão se não tratada por levar ao suicídio, é preciso tratamento especializado.

Psicóloga responde- Ansiedade

 (Por Psicóloga Especialista Samira Falcão)
  • A ansiedade é considerada uma doença?

Sim, de acordo com o DSM-V (manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais). Ansiedade sempre fez parte da história do ser humano, as reações fisiológicas geradas em situações potencialmente estressoras, onde chamamos de “ ansiedade” faz com que nosso corpo se programe para agir. O problema é que muitas pessoas usam esse mecanismo natural de ação em todos momentos, mas, ansiedade foi fundamental para sobrevivência da espécie.

  • E quais são os dados sobre o panorama no brasil e no mundo da doença?

Sabemos que ansiedade, apesar de ser um fenômeno universal, onde é experimentado por todo mundo, inúmeras vezes ao longo de sua vida, ainda se torna difícil ter um panorama exato. Ansiedade é transtornos psiquiátrico mais prevalente, mas menos de 30% dos indivíduos que sofrem dele procura tratamento.

Os dados mostram que a ansiedade e as fobias constituem os principais problemas de saúde mental da população brasileira, com prevalências globais variando de 8% a 18% e estimativas de demanda potencial de 5% a 12%.

De acordo com Andrade (2002) onde estudou a prevalência de transtornos mentais CDI-10 (Classificação Internacional de Doenças), em São Paulo, verificou a prevalência para vida de transtorno de ansiedade generalizada (TAG) de 4,2%, transtorno de pânico de 1,6%, agorafobia de 2,1%, fobia simples de 4,8%, fobia social de 3,5% e transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) de 0,3%.

  • Quais os sintomas mais comuns da ansiedade? Eles podem ser diferentes em homens e mulheres, crianças ou idosos?

Grande parte dos estudos aponta que o transtorno sendo mais prevalente em adultos do que em adolescente e idosos, sendo mais comum em mulheres.

Os sintomas ansiosos variam, mas uma pessoa ansiosa pode apresentar dificuldade de controlar a preocupação quanto ao futuro, inquietação ou sensação de nervos “à flor da pele”, dificuldade de concentrar, pessoas que tem “ branco” na mente com frequência, tensão muscular, irritabilidade e também perturbação durante o sono (Dificuldade de manter o sono, acorda casando. Se caso esses sintomas forem experimentados na maior parte dos dias, durante seis meses é bom procurar um psicólogo cognitivo comportamental e psiquiatra para uma melhor avaliação.

A ansiedade é mais comum começar a aparecer os primeiros sintomas no final da adolescência até final dos 20 anos. Os sintomas da ansiedade são iguais para homens e mulheres só para criança que existe uma avaliação diferente.

  • A ansiedade pode gerar sintomas físicos como dores?

Os sintomas físicos que as pessoas ansiosas experimentam estão relacionadas aceleração do batimento cardíaco, distúrbios do sono, enrijecimento muscular. Muitas pessoas apertam a mandíbula, ou os punhos, ou flexionar outros músculos por todo o corpo a todo momento. Tem problema na vida sexual, homens com ejaculação precoce e mulher as vezes se sentem frigidas.

  •  A ansiedade pode gerar outros problemas de saúde?

Os problemas de saúde mais comuns de ansiedade são caracterizados pelo transtorno mental. Existe tipos de ansiedade que geral dificuldade de levar uma vida com qualidade, exemplo das pessoas que sofrem de TOC (transtorno obsessivo compulsivo) onde fazem rituais para diminuir ansiedade, e esses rituais levam tempo e um gasto excesso de energia ou síndrome do pânico, muitas pessoas no estado mais grave acabam se isolando com medo de ter um ataque a qualquer momento.

  • Existe uma grande relação da ansiedade com a obesidade, porque a pessoa com essa doença acaba comendo em excesso?

Existe uma relação, muitas pessoas com ansiedade acabam comendo para aliviar os sintomas. Mas isso é decorrente com o que representa a comida para essa pessoa ansiosa, ela pode gerar saciedade e assim mudando os pensamentos que estavam incomodando. É uma válvula de escape que gera uma consequência aversiva muitas vezes, ganho de peso.

  • Qual o profissional da saúde que deve ser procurado ao se detectar o sintoma de ansiedade?

Os profissionais que devem ser procurados em caso de ansiedade, primeiramente psicólogo analista do comportamento ou cognitivo comportamental que vão trabalhar os pensamentos, o comportamento, causa e a consequência da ansiedade. Muitas vezes é necessário psiquiatra medicamento, para ajudar no processo de psicoterapia.

  • Em relação aos tratamentos, eles são feitos com remédios, terapias, homeopáticos?

O tratamento é feito com terapia, onde vão acompanha o estado do transtorno, mudando os comportamentos e ajudando o paciente a lidar com a ansiedade. O medicamento que vai ser indicado pelo psiquiatra ajuda a lidar com os sintomas físicos da ansiedade.

Homeopatia não existe estudo científicos que comprovem a eficacíssima, mas cada profissional trabalha da forma que acha mais adequada visando a melhora dos sintomas do paciente, seguindo uma ética de trabalho.

 

  • Se você gostaria de ter suas perguntas respondidas pelo Grupo de Psicólogas, envie um e-mail para :  psicologiacomportamental@live.com

     

Depressão ou tristeza?

Nos dias de hoje a palavra “Depressão” é um termo bastante utilizado pelas pessoas. Afinal de contas! Qual é a diferença entre tristeza e depressão?

A tristeza é uma emoção que faz parte do ser humano, é uma sensação desagradável e geralmente intensa, pois remete às situações de perdas, fracassos, rompimentos ou separações. Quando dosada essa intensidade, favorece a reflexões pensamentos) estimulando mudanças de comportamentos que proporcionam mais qualidade de vida.

Já a depressão, podemos dizer que é um “estado” ou uma forma de ver e sentir o “mundo”, entre outras. Para você suspeitar de uma possível depressão é importante se atentar a alguns fatores: Humor deprimido, triste, quase todos os dias; acompanhados de perda de energia ou cansaço frequente; diminuição da concentração; podem envolver também irritabilidade e/ou choro sem motivo aparente; insônia ou aumento nos episódios de sono; agitação psicomotora; sentimento de culpa; perda ou ganho de peso; chegando até a ter pensamentos sobre morte e tentativas para o mesmo acontecer.

Fonte: Baralhos das Emoções – Renato Caminha e Marina Gusmão Caminha /DSM -5
American Psychiatric Association.