Satisfação Conjugal- Como evitar termino de um relacionamento

Por Psicóloga Samira Falcão

( Especialista Terapia Cognitiva Comportamental USP, realizando atendimento de casal)

Relacionamento

O aumento de divórcio, tanto no Brasil quanto no mundo, releva cada dia dados preocupantes, cum um índice de 60% nos EUA, de 40% na Inglaterra e de 25 % no Brasil (Vila,2002).

Os problemas de relacionamento entre casais e de insatisfação no casamento aumenta o índice de estresses, levando muitas vezes a desenvolver transtornos psiquiátricos e até mesmo enfermidades físicas.

O estresse no relacionamento conjugal pode causar discussões, desgastes psicológicos e em situações mais extremas violência entre os parceiros. Além disso, sabemos que todo esse desgaste gera consequências negativas para filhos e familiares que acompanham o casal.

Os custos potenciais das crises conjugais e dos divórcios tem feito com que esse tema ocupe um papel nas pesquisas psicológicas sobre casais, motivando assim para uma intervenção a fim de tratar o conflito.

O casamento que tem felicidade, satisfação, acaba fortalece o sistema imunológico e com isso aumentando o seu tempo de vida juntos. Em vários estudos mostram que esse sentimento de bem-estar, contentamento, companheirismos, afeição e segurança, tais fatores que promovem intimidade no relacionamento e decorrem da harmonia entre as expectativas e aspirações do cônjuge e a realidade que vivencia.

Se falarmos de satisfação conjugal vamos perceber que é um fenômeno complexo. Essa complexidade se dá ao fato de ter interferência de algumas variáveis, tais como: Características de personalidade, valores, atitudes e necessidades, sexo, momento do ciclo da vida familiar, presença de filhos, nível de escolaridade, nível socioeconômico, nível cultural, trabalho remunerado e experiência sexual anterior ao casamento.

Uma boa relação se dá também quando se desenvolve capacidade para se comunicar parece constituir a base dessas variáveis. Dessa forma fica mais fácil lidar com as diferenças e as qualidades evidenciam, tornando uma relação mais feliz e com satisfação.

Para um relacionamento ou casamento durarem, dependente de alguns fatores:

Desenvolver capacidade para lidar com conflitos; consultar o parceiro na tomada de decisões; manter uma boa comunicação; cultivar valores tais como confiança, respeito, compreensão e equidade; desenvolver a intimidade sexual e psicológica.

 Quando o casal decide procurar uma terapeuta para mediar conflito é feita intervenção, ensinando técnicas de fortalecimento de diálogos com o parceiro, ambos aprendam expor o que não agradava e o que agrada e no decorrer do processo o casal acaba aumentando o reforçador dentro da relação, tornando mais dinâmica e cheia de satisfação. A terapeuta analisa o desenvolvimento de estímulos positivos, pensamentos e comportamentos inadequados.

 

Fonte

Relações entre a Satisfação Conjugal e as Habilidades Sociais percebidas no Cônjuge    http://www.scielo.br/pdf/ptp/v25n3/a13v25n3.p

 

Primeira ida do meu filho ao Psicólogo(a)

Pela minha experiência, observo que os pais poderiam ter uma atuação mais colaborativa nesse momento, porém levar um filho ao psicólogo pode despertar várias emoções aos pais, uma delas é o medo em conjunto com a ansiedade, em demasia, pode ser uns dos impedimentos para uma condução mais “tranquila” e adequada, com o intuito de auxiliar, segue abaixo algumas sugestões de frases colaborativas e facilitadoras:

1. “Filho(a), você está com alguns problemas que nós não conseguimos ajudar sozinhos.”;

2. “Algumas crianças podem ter algumas dificuldades.”;

3. “Quando os pais não conseguem ajudar os filhos sozinhos, podem procurar uma ajuda especial.”;

4. “Às vezes, as crianças passam por situações que podem deixá-las tristes, preocupadas, irritadas ou, até mesmo, com medo.”;

5. “A terapeuta vai conversar com você sobre qualquer assunto que você quiser falar.”;

6. “Quando você for encontrar a sua terapeuta, ela irá te explicar como serão os encontros.”.

Fonte: MARC A. NEMOROFF, PHD & JANE ANNUZIATA. (2009). O Primeiro Livro Da Criança Sobre Psicoterapia. Porto Alegre, Artmed.

Estratégia A.C.A.L.M.E – S.E

Para lidar com o estado da ansiedade é aceitá-lo totalmente permanecer no presente e aceitar sua ansiedade fazem-na desaparecer. Para lidar com sucesso com sua ansiedade, você pode utilizar estratégia  “A.C.A.L.M.E.-S.E.” de oito passos. Usando-a, você estará apto(a) a aceitar a sua ansiedade ate que ela desapareça.

 

Aceite a sua ansiedade. Um dicionário define aceitar como dar “consentimento a receber”. Concorde em receber suas sensações de ansiedade. Mesmo que lhe apareça absurdo no momento, aceite as sensações em seu corpo assim como voce aceitaria em sua casa um hospede inesperado e desconhecido ou uma dor incomoda. Substitua seu medo, raiva e rejeição por aceitação. Não lute contra as sensações. Resistindo, você estará prolongando e intensificando o seu desconforto. Ao invés disso, flua com ela.

Contemple as coisas a sua volta. Não fique olhando para dentro de você, observando tudo a cada coisa que sente. Deixe acontecer com seu corpo o que quiser, sem julgamento: nem bom nem mau. Olhe  a sua volta, observando cada detalhe da situação em que você esta. Descreva-os minuciosamente para você, como um meio de afastar-se de sua observação interna. Lembre-se: você não é sua ansiedade. Quanto mais puder separar-se de sua experiência interna e ligar-se nos acontecimentos externos, melhor se sentira. Esteja com ansiedade, mas não seja ela; seja apenas observador.

Aja com sua ansiedade. Aja como se você não estivesse ansioso(a), isto é funcione com sua sensações de ansiedade. Diminua o ritmo, a velocidade com que você faz as coisas, mas mantenha-se ativo(a)! não se desespere, interrompendo tudo para fugir. Se fugir, a sua ansiedade diminuirá, mas o seu medo aumentará, de onde na próxima vez a sua ansiedade será pior. Se você ficar onde esta- e continuar fazendo suas coisas- tanto a ansiedade quanto o seu medo diminuirão. Continue agindo. Bem devagar!

Liberte o ar dos seus pulmões, bem devagar, respire calmamente, inspirando pouco ar pelo nariz e expirando longa e suavemente pela boca. Conte ate três, devagarinho, na inspiração, outra vez ate três prendendo um pouco a respiração e ate seis na expiração. Faça o ar ir para o abdome, estufando-o ao inspirar e deixando-o contrair-se ao expirar. Não encha os pulmões. Ao exalar, não sopre: apenas deixe o ar sair lentamente pela boca. Procure descobrir o ritmo ideal de sua respiração, nesse estilo e nesse ritmo, e você descobrirá como isso é agradável.

Mantenha os passos anteriores. Repita cada um, passo a passo. Continue a (1) aceitar sua ansiedade, (2) contemplar, (3) agir com ela e (4) respirar calma e suavemente ate que ela diminua e atinja um nível confortável. E ela irá, se você continuar repetindo estes quatro passos: aceitar, contemplar, agir e respirar.

Examine seus pensamentos. Talvez você esteja antecipando coisas catastróficas. Você sabe que elas não acontecem. Você já passou por isso muitas vezes e sabe que nunca aconteceu nada do que aconteceria. Examine o que você esta dizendo para si mesmo(a) e reflita racionalmente para ver se o que voce pensa é verdade ou não: você tem provas sobre o que pensa é verdade? Há outras maneiras de entender o que lhe esta acontecendo? Lembre-se: você esta apenas ansioso(a)- isto pode ser desagradável, mas não é perigoso. Você esta pensando que esta em perigo, mas tem provas reais e definitivas disso?

Sorria, você conseguiu! Você merece todo o seu credito e todo seu reconhecimento. Você conseguiu, sozinho(a) e com seus próprios recursos, tranquilizar-se e superar esse momento. Não é uma vitória pois não havia um inimigo, apenas um visitante de hábitos estranhos que você passou a compreender e aceitar melhor. Você agora saberá como lidar com visitantes estranhos.

Espere o futuro com aceitação. Livre-se do pensamento mágico de que terá se livrado definitivamente, para sempre de sua ansiedade. Ela é necessária para você continuar vivo(a). em vez de considerar-se livre dela, surpreenda-se pelo jeito como a maneja, como acabou de fazer agora. Esperando a ocorrência de ansiedade no futuro, você estará em uma boa posição para lidar com ela novamente.

Fonte: Bernard Rangé, 1992

TCC Para Você

O intuito desse texto é introdutório, com o objetivo de explicar, em poucas palavras, com uma linguagem de fácil compreensão, o que é a abordagem Cognitivo Comportamental ou TCC. A TCC é conhecida e recomendada na área médica pela eficácia de seus inúmeros trabalhos por comprovação científica, O que é interessante você saber ao fazer a escolha por essa linha de tratamento é a forma de como ela vê os problemas, dificuldades e sofrimentos do ser humano. Em uma frase objetiva e sabiamente dita pelo criador dessa obra Albert Ellis é “O problema não é a situação em si, mas como você as interpreta”. Para Melhor compreensão, vamos imaginar a seguinte situação: “Você caminhando em direção ao mercado próximo de sua casa e passando por um ponto de ônibus, onde está presente um grupo de pessoas. Você acaba escutando sons de risadas.”.A interpretação do evento ou da situação, irão ser em forma de pensamentos, no qual geraram sentimentos. Esse processo é rápido construído à partir da história de vida na infância e na minha visão iniciada desde o útero materno.

Fonte: JESSE H. WRIGHT, MONOCA R.BASCO, MICHAEL E, THASE, (2008), Aprendendo a Terapia Cognitivo-comportamental; um guia ilustrado. Porto Alegre: Artmed.

Treinamentos e Palestras

  • Palestra em Escolas e Instituições 
  • Treinamento em Organizações
  • Temas
  • Ansiedade no Trabalho
  • Como lidar com seu filho TDAH
  • Saúde do Trabalhador
  • Depressão
  • Síndrome de Burnout- Como lidar
  • Stress- No trabalho
  • Como educar meu filho
  • Entre em contato e veja mais temas.

Orientação Vocacional- Profissional

Orientação Profissional

 

Acreditamos que para um conjunto de habilidades que um indivíduo possui, existe um conjunto de opções profissionais em que ele poderia se dar muito bem e por isso a importância de se considerar os valores, aspirações, nível socioeconômico e estilo de vida que o indivíduo deseja ter. Muitas dessas informações podem não ser acessadas pelos testes tradicionais. Esse é um dos motivos nos quais os orientadores têm se apoiado para abolir o uso de testes e mudar sua intervenção junto às pessoa que precisam identificar a melhor profissão a seguir.

O processo de orientação profissional pode consistir em etapas:

1- autoconhecimento

2- conhecimento da realidade profissional

3- apoio à tomada de decisão

 

Head Hunter – Recrutamento e Seleção

Recursos Humanos
Em parceria com a D&O Recursos Humanos, desenvolvemos trabalhos de vagas temporárias e efetivas, específicos conforme as necessidades do cliente.
- Recrutamento e seleção
- Testes psicológicos / específicos
- Provas situacionais
- Laudo psicológico
Condução de mapeamento de mercado através de técnicas de “Hunting”
 -Ao receber um perfil desenvolvemos o processo de hunting da maneira usual, identificando, entrevistando e avaliando os profissionais que pertencem ao universo alvo de busca.
Especialista em profissionais de diversos segmentos:
-Siderurgia/Metalurgia
-Mineração/Cimentos
-Engenharia
-Química
-Bens de consumo

Psicoterapia Breve

O profissional é treinado para reduzir ou remover um problema de modo mais focado. O paciente é treinado para resolver os problemas.

Pagina 2 de 212