Empatia: Como ensinar meu filho a ser empático.

Psicóloga Samira responde:

  • Empatia vem do significado projetar, colocar no lugar do outro no qual uma pessoa se identifica com outra, presumindo sentir o que está sentindo.  As crianças que aprendem a terem empatia tendem a ser mais bem-sucedidas na escola, na sociedade e em suas eventuais carreiras profissionais.

Ensinar a criança ter empatia pelo amiguinho é preciso que os adultos pratiquem o mesmo, dentro de casa, na escola e em todos ambientes que frequentam. É um comportamento que na vida adulta é cobrado o tempo todo. Se no mundo fossemos mais empáticos e respeitosos com o próximo seria melhor. O respeito, um valor que combina bem com a empatia, é aprendido pelas crianças através dos modelos que os adultos vão deixando.

 Fazer com que uma criança aprenda a agir com empatia e respeito é um processo contínuo e deve ser constantemente estimulado e praticado no ambiente.

Dica para desenvolver empatia “Habilidade de colocar no lugar do outro”

 

  • Enquanto você vê filme com seu filho ou lê história, questione o que ele acha que o personagem está sentindo e se ele já sentiu-se assim.
  • Demostre que você se importa com o que a pessoa próxima está sentindo.
  • Confeccionar história em quadrinho, escrever, diário ajudam a conhecer melhor as emoções e sentimentos.
  • Pais devem cumprir o que prometem aos filhos. Ensinando dessa forma o respeito com o que se promete ao próximo e ao sentimento.
  • Gentileza gera Gentileza, ajude seu filho, peca ajuda, dessa forma você ensina ele autonomia, habilidade sociais e de resoluções de problema junto com o próximo.
  • Escute e tenha paciência.

 

Por

Psicóloga Especialista Samira Falcão

Falar sobre Transtono Bipolar é preciso.

( Escrito pela Psicóloga Especialista Samira Falcão)

O transtorno de humor bipolar (THB) é um problema de saúde pública com uma prevalência em torno de 1,5%, estando associado a elevado risco de mortalidade; aproximadamente 25% dos pacientes tentam suicídio em alguma etapa de suas vidas e, destes, cerca de 11% completam este intento (Hilty et al., 1999).

O Transtorno bipolar (TB) possui forte componente biológico e sua principal forma de tratamento é com medicamentos estabilizadores do humor. Entretanto, o papel da psicoterapia para o seu tratamento é enorme e com potencial ainda muito estudo. Estamos falando de uma doença crônica que necessita de cuidado e acompanhamento para vida toda.

A síndrome causa na pessoa estresses, prejuízos psicossociais e diminuição na qualidade de vida.

As pessoas que sofrem desse transtorno experimentam momentos de depressão, e também de euforia intensa, conhecida como mania. Existe a característica de velocidade de pensamento, a pessoa fica mais excitada, contado piadas, agindo de modo inconveniente, com libido aumentada, com menor necessidade de sono, sensação de bem-estar e energia.

Características para serem observadas:

  1. Gasto de dinheiro excessivo.
  2. Diminuição da necessidade de sono;
  3. Diminuição acentuada da ansiedade;
  4. Níveis elevados de otimismo, com pouco planejamento;
  5. Grande vontade de se relacionar com pessoas, mas com pouca capacidade de ouvir;
  6. Concentração diminuída;

 

Recomendamos esse site http://www.abtb.org.br/transtorno.php , quanto mais informação sobre o transtorno melhor para a convivência.

Procure um Psicólogo e um bom Psiquiatra para um diagnóstico especifico.

Pagina 5 de 11« Primeira...34567...10...Última »